SOU BRASILEIRA E NÃO DESISTO NUNCA!!!!!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Gordinhas e gordinhas....


Estava hoje caminhando, sem nenhuma animação, e vi uma gordinha toda produzida, fala baixo que é fofoca,vou descrever: Ela estava de cabelo molhado ainda, blusinha justinha azul, e aquela calça de lycra que brilha, gordo quando coloca então brilha mais ainda, de tão esticada, e uma sainha preta por cima da calça brilhante, rsrsrsrs, ela era bonitinha mas tava horrível, chamando a atenção por onde passava, deve ter quem goste, dizem que pra toda panela tem uma tampa...boa sorte pra ela.
Depois na volta passei no açougue, e tem uma gordinha que fica no caixa, ela é uma graça bonita e simpática, mas eu nunca a tinha visto fora do balcão, pois então....ela estava de pé do lado de fora, eu entrei em choque, ela tem a parte de cima gordinha, a parte de baixo gordona, uma barriga mole, que a camiseta de uniforme do açougue (maldito uniforme, não conheço ninguém que fica bem em um) estava um pouco justa realçava, fiquei paralisada, porque pra mim foi uma surpresa vê-la tão nova e naquela situação, não estou melhor que ela não, é o elemento surpresa que me pegou, daí fiquei pensando, será que sou preconceituosa? Entendi o que as pessoas que me viram depois de engordar mais de 20 quilos, quando me viam ficavam assim sem ação, tentavam disfarçar mas eu mandava logo: Tá me estranhando né!? Sou a mesma só que com uns quilos, não,não, muitos quilos a mais. Bom, concluindo, não acho que seja preconceituosa, uma das minhas qualidades é tentar não julgar ninguém, cada um é o que é, e sempre penso, sei lá o que aquela pessoa passa na vida, ou a situação que está vivendo...etc.....mas não é bonito uma pessoa gorda, é isso....tem gordinhas que acho bonitas, mas são as que estão só um pouco acima do peso, a questão é o muito acima do peso, choca um pouco, se eu que sou obesa penso assim...imagina uma pessoa magra, ou que não tenha problemas com peso, deve achar uma falta de vergonha na cara! na verdade na maioria dos casos, no meu por exemplo é uma combinação de falta de vergonha na cara com valores, não dou muito valor a corpo bonito, pra mim tanto faz se tiver um tanquinho ou uma maquina de lavar na barriga, só não pode ter é a maquina de lavar com um edredon em cima da máquina na barriga, eu só queria ficar gordinha, tipo uns 15 quilos a menos, eu acho que fico uma gordinha bonitinha...
Nossa ficou meio confuso isso, mas é isso que estou pensando agora.

8 comentários:

  1. mah olha só... eu acho q sou um pouco preconceituosa sim... Sou pq sou comigo mesma!!! Não me aceito gorda (mas tbm naum quero ser magrinha, só quero ser normal) e tbm me choco quando vejo gente assim muuuuuuuuito acima do peso... essa mina brilhante q vc disse... NOÇÃO 0 ela tem!! Eu sou o tipo da gorda q quanto menos chamar atenção, melhor, ela ja é o total oposto!!! Ser gordo, diferente do q as pessoas pensando naum é falta de vergonha na cara naum... um pouco sim... mas a parcela é pkna... A gente come emoções, tem problemas desilusões... cada um reage de um jeito: tem gente q se corta - ja fiz isso - tem gente q tenta se matar - tbm ja fiz isso - tem gente q bebe - nunca fiz isso - tem gente q medita - eu to fazendo isso - ... cada um reage de uma maneira, dependendo do seu grau de entendimento sobre si mesmo.... Tbm nem sei qq eu to falando to confundindo mais do q descomplicando.... mas eu sei bem o q vc ta falando, assino embaixo e acho q pensamos iguais. PS: tbm naum quero um tanquinho... mas o edredon foi péssimo kkkkkkkkkkkkk Bjus amiga bom finzinho de semana pra vc! Eu sumo mas meu radar sempre passar por aki pra saber de vc!
    Fui!

    ResponderExcluir
  2. Oi querida,
    Preconceito todos temos, difícil é saber quem assume. Eu tenho vergonha do meu físico e fico com pena das pessoas que estão como eu, ou até piores do que eu.
    Vejo nas caminhadas que algumas estão se esforçando como nós, mas muitas pessoas ainda não chegaram no limite para começar a mudar a atitude diante da vida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que não é preconceito, é ser realista mesmo. A obesidade é uma doença e não dá prá pasar por debaixo da mesa. Acho saudável estar inconforme e descontenta com a própia obesidade, esa sensação de mal estar é o que nos vai impulsar a emagrecer.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Marília, eu além dos 140kg que já ostentei, tinha uma barriga imensa, pendurada. E quando comecei a emagrecer de verdade, ela despencou e fez um avental abdominal que chegou a cobrir 15cm das minhas coxas.Como eu não me privava de viver, curtia a minha praia, a marca que ficava nas coxas parecia que eu tinha ido de short, de tanto que a barriga cobria.
    Pois bem, era uma coisa realmente muito feia, chamava a atenção e não foram poucas as vezes em que flagrei olhares, alguns bem cruéis, algumas vezes pessoas cutucando para a outra me olhar, como se estivesse de frente para um ET. O preconceito existe, mas nem sempre há preconceito, muitas vezes há uma forma menos sensível, menos educada, muito cruel até, de expressar a surpresa ou seja lá o que a pessoa pensa da outra, que está ali na frente, tão fora de forma, tão fora de padrões. Eu aprendi a lidar com isso, na época. Hoje, não sou magra, você sabe, mas não sou como já fui e me sinto bem, embora haja quilos extras, readquiridos, que vão embora, sim. Mas não chamo a atenção na rua como já chamei, não sou mais uma pessoa que assusta os desavisados. Há preconceito, ams ele não pode é começar pela gente. Se a pessoa for a primeira a se discriminar, isto é o que ela passará para o outro, uma espécie de permissão: 'discrimine-me'. Não é mole, mas é algo que prcisa ser administrado.
    Não pode é virar acomodação. Uma coisa é saber lidar com isso, outra é manter-se naquela condição que não traz benefício, traz riscos e problemas mil.
    Acho realista a sua meta, de se tornar alguém normal, mesmo que não seja alguém efetivamente magro. Cada caso é um. O meu é exatamente este. Respeitar, inclusive, o limites do meu organismo. E me sentir bem, feliz, saudável, bem-disposta. É o caminho. Beijos minha amiga e mais ânimo nas caminhadas, são suas aliadas!

    ResponderExcluir
  5. Hahahaha, Má tô rindo da última parte do tanquinho, máquina de lavar mais edredon, kkkkk, só vc mesmo, rsrs!!!

    Mas é, todos tem preconceito, é froids, eu tb fico imaginando o q o povo pensava quando me olhava, eu vejo as minhas fotos do casamento com 100 quilos (no civil, não iria ser louca de casar na igreja com esse peso kkk) e quase morro de vergonha, peloamorrrr que ponto chegamos né?

    Complicado!!!

    Feliz dia das mães!!!

    Bjussss

    ResponderExcluir
  6. marilia! kkkkkkk sei la pra onde foi a barriga mas meu prolema é da cintura pra baixo bixa... a bunda
    e as coxas naum me abandonaaaaaaaaaaaaaaaaaammmmmmm! rsrrs Vou ficar com cara de manga chupada e bundão e coxão... A TREVAAAAAAAA!! Bjus amiga e maravilhoso dia das mães!

    ResponderExcluir
  7. Tá bom, a gente fechar a cara pras modelos abaixo do peso pode, mas achar um gordo-obeso(palavras do meu filho adolecente)feio é preconceito. Não acho não, até porque se fosse bonito a gente não se escondia quando tá do tamanha de um urso. sou que nem vc acho feio mesmo, e pra mim isso não é preconceito. Acho que a gente tinha que agir da mesma forma que age em relação ao cigarro, obesidade causa doenças graves também!
    Ah, tem umas brincadeiras la no blog, passa lá!
    Bj

    ResponderExcluir
  8. Oi querida!!!
    Então... sabe que hoje, mesmo ainda não estando magrinha, quando vejo uma gordinha como eu fui, me passa mil coisas pela cabeça.
    Acredite: outro dia me peguei com pensamentos preconceituosos quando vi uma gordinha exatamente como eu era, até no modo de vestir. Olha que feio, rsrs.
    Mas é assim mesmo.
    Quando eu estava bem gorda (sim, acredite: eu com esse tamanho todo - 1,52 - e 70 kilos, parecia uma orca)tinha muita cautela ao me vestir.
    Quando saia pra caminhar, usava roupas pretas. Sempre. Calça legging, camisetão e tênis - tudo preto e discreto. E claro que via no caminho mulheres como a que vc viu, totalmente sem noção.
    Lembro de uma mulher bem gorda, que nunca mais vi. Ela usava calça brilhosa também, laranja e uma camiseta preta regata e curta, tudo muito justo e como diria meu filho: era a visão do inferno.
    Não era só eu que olhava e comentava ou achava feio. Todos olhavam.
    Dai eu penso: Tá gorda, mas não precisa ser ridícula né?
    Pô, custa colocar uma roupa que chame menos a atenção? Depois reclamam que o povo tira um sarro.
    Cada uma, rsrs.

    E por aí? Tá tudo belezinha?
    Por aqui tudo nos conformes. Caminhando...
    Beijos.

    ResponderExcluir